quinta-feira, 11 de setembro de 2014

Prefeitura de Piçarra executa projeto de educação e proteção ambiental

Reconhecendo o meio ambiente como uma das potencialidades da sua cidade o prefeito de Piçarra, Wagner Machado, encomendou um audacioso projeto de proteção e educação ambiental que visa nortear ações de sustentabilidade em vários segmentos, os principais são: proteção de peixes (Tucunaré e Jaú) e Quelônios (Tracajás e Tartarugas) além da recuperação de áreas degradadas.

Para garantir a boa execução do projeto o município está buscando parceiros e colaboradores, uma das pessoas contadas foi o educador ambiental Cesar Peres da Ong Mepa, conhecido por realizar trabalhos de educação ambiental e por já ter devolvido para a natureza mais de 70 mil filhotes de Quelônios, o objetivo era tê-lo na equipe.  

Torneio de Pesca Esportiva de Piçarra - TORPEP

O município de Piçarra já tem visibilidade por conta de questões ambientais, trabalha a proteção de Quelônios e realiza um dos maiores torneios de pesca esportiva do país o TORPEP, evento acontece anualmente em meio as paisagens lindas do rio Araguaia, na região do povoado de Itaipavas, o local guarda um dos maiores berços dos Jaús e Tucunarés, além de uma infinidade de outras espécies ideais para a prática da pesca esportiva. 
 
Prefeito exibe o projeto que já está em execução

“Temos 42 km de rio, temos natureza por toda volta, mas é preciso cuidar, no meu entendimento cuidar não é sinônimo de não usar, algo intocado, mas usar com moderação e respeito para que possamos ter agora e deixar para as próximas gerações, pretendo fazer de Piçarra um município modelo no que se à sustentabilidade ” Ressaltou Wagner Machado     

terça-feira, 11 de fevereiro de 2014

Educação ambiental vale a pena?

Nessa época do ano era comum ver a Orla de Marabá, principal cartão postal da cidade, na sua parte de baixo, tomada pelo lixo, exatamente para minimizar esse problema a Ong Mepa, anos atrás, iniciou a campanha "Mepa contra o lixo no rio", hoje é visível a diferença.
Inverno de 2014
Inverno de 2012
O projeto "Mepa contra o lixo no rio" envolvia uma série de ações de consciência ambiental focadas nas consequências causadas pelo despejo de lixo diretamente nos rios e nas ruas, que de certa forma acabariam por chegar no rio. O ponto máximo do projeto era uma limpeza "simbólica" da margem do rio, ao longo da orla, com a participação de autoridades e estudantes das redes pública e privada.

Com um trabalho de educação ambiental bem feito é possível, paulatinamente, mudar a realidade de abandono em que se encontram muitas áreas na nossa região, infelizmente esse trabalho costuma ficar à cargo apenas de ONGs, o poder público e grandes empresas que exploram as riquezas naturais e minerais por aqui, pouco fazem, não atuam na prática e ainda inviabilizam qualquer tipo de apoio financeiro para contribuir com o trabalho dessas entidades sérias. Para exemplificar, podemos citar dois convênios que a Ong Mepa conseguiu a aprovar pelo conselho Municipal de Meio Ambiente de Marabá mas, embora o recurso exista para esta finalidade, ainda assim ele não chega ao destino correto, por outro lado, empresas como a Vale não demonstram o menor interesse em apoiar iniciativas de educação ambiental.

As dificuldades são muitas, mas, ainda assim, a Ong Mepa continua seu trabalho defendendo um convívio melhor, harmonioso entre sociedade e natureza, Meio Ambiente.

Por César Peres.
César Peres (Mepa) apresentando campanha de educação ambiental
  
A natureza é para todos, cuidar dela também



terça-feira, 5 de novembro de 2013

Mepa fará soltura de filhotes de Quelônios neste domingo

A Ong Mepa (Movimento Educacional de Preservação da Amazônia) vai realizar neste domingo (10) a devolução para a natureza de milhares de filhotes de Tracajás e Tartarugas. Para proteger esses animais a Ong faz o mapeamento dos tabuleiros de desova, maneja os ninhos de áreas de risco para um local seguro, acompanha o nascimento e o desenvolvimento dos filhotes até chegar o momento da soltura.

A soltura é o ápice do projeto, ao longo do tempo a Ong Mepa já devolveu para a natureza mais de 70 mil filhotes de Tracajás e Tartarugas garantindo paulatinamente o repovoamento de uma espécie que ainda corre risco de extinção nesta região.


Para a soltura deste ano será montada uma estrutura no bairro Francisco Coelho (Cabelo Seco) que inclui até uma praia artificial, o evento começará às 14h com músicos locais entre outros atrativos. 

Arquivo da Ong Mepa
Data: 10/11/2013
Horário: 14h
Local: Bairro Francisco Coelho, praça Francisco Coelho (encontro dos rios) 

Veja a chamada da soltura com César Peres:

 

quarta-feira, 5 de junho de 2013

5 de Junho - Dia do Mundial do Meio Ambiente

"Só quando a última árvore for derrubada, o último peixe for morto e o último rio for poluído é que o homem perceberá que não pode comer dinheiro."

É com esse provérbio indígena que chamamos a atenção para o dia de hoje, 5 de junho, DIA MUNDIAL DO MEIO AMBIENTE.

A criação da data foi em 1972, em virtude de um encontro promovido pela ONU (Organização das Nações Unidas), a fim de tratar de assuntos ambientais, que englobam o planeta, mais conhecido como conferência das Nações Unidas.

domingo, 12 de maio de 2013

Ong ajuda no levantamento de pontos turísticos nas margens do rio Tocantins

A ONG MEPA em parceria com as Secretarias Municipais de Turismo e Serviços Urbanos começou um trabalho que objetiva levantar a situação dos locais que prestam serviços públicos nas margens do rio Tocantins. A ideia é padronizar esses espaços e possibilitar orientações técnicas para qualificar ainda mais o atendimento.
Restaurante Taboca na margem direita do rio Tocantins
Nesse primeiro momento a equipe visitou a Praia do Tucunaré e o Restaurante Taboca, este último localizado na margem direita do Rio Tocantins em frente ao Projeto ALPA.
Para esse ano a Prefeitura Municipal de Marabá pretende implantar um grande projeto no veraneio de modo a valorizar o ecoturismo, as ações levam em conta a profissionalização dos serviços, a padronização com destaque para a limpeza dos espaços, etc. 
Secretária de Turismo Avany Paulino nas barracas tradicionais da Praia do Tucunaré



sábado, 4 de maio de 2013

ONG ministra palestra para estudantes da rede municipal de ensino

Na última sexta-feira (3) a ONG MEPA ministrou uma palestra para estudantes da Rede Municipal de Ensino, durante 40 minutos os adolescentes aprenderam o que deve ser feito para diminuir os impactos causados pelo acumulo de lixo nas ruas, esse lixo entope bueiros causa alagamentos e acaba chegando nos rios. 
César Peres (MEPA) conversando com adolescentes

A ONG MEPA tem consciência que muitos problemas ambientais, como a poluição dos rios, podem  ser minimizados com um trabalho de educação junto a crianças e adolescentes, quem cresce orientado a fazer a coisa certa, contribui diretamente para uma sociedade sustentável.

Durante a palestra uma adolescente ao ouvir sobre a ONG MEPA e sobre o trabalho de proteção de Tracajás e Tartarugas chamou o palestrante para informar que tinha em casa um casal desses animais e que gostaria que fosse devolvido para a natureza.  

Mãe da adolescente entrega quelônios para serem devolvidos para o rio

Devolução dos filhotes na orla de Marabá
Desde de 2011 o MEPA tem recebido recursos da ALPA/VALE, esse apoio foi fundamental para a realização de ações voltadas para as comunidades ribeirinhas visando o projeto de manejo de quelônios, Tracajás e Tartarugas, como resultado houve um aumento na casa de 78% na soltura desses filhotes. Para o ano de 2013 a ALPA/VALE diminuiu significativamente o apoio financeiro o que impactará diretamente nos resultados pretendidos para esse ano.

O MEPA já devolveu para a natureza mais de 70 mil filhotes

sexta-feira, 12 de abril de 2013

Reflorestamento dos Centros Urbanos de Marabá


A Ong Mepa está acompanhando o trabalho da Secretaria de Agricultura de Marabá no que se refere à plantação de árvores endémicas (Pequi, Mogno, Jatobá, Açaí, Cajá, etc).

Porque é importante plantar árvores nativas?
Resposta: Plantando árvores de sua região você estará protegendo a fauna e flora, no qual todos os animais da região se beneficia para sobreviver que são chamados de silvestres.

Os rios e nascentes de sua região necessitam de árvores nativa, sem elas, eles entram em processo de desertificação e secam.

Plantar outros tipos de árvores o processo pode se agravar. Exemplo eucaliptos (espécie considerada exótica) sugam água em excesso, dependendo da quantidade plantada seca grandes lagos.

Exóticas: quando são de regiões distantes ou de outros continentes e países.

Árvores Endêmicas: só existe naquela região portanto são consideradas exóticas em outros estados do próprio país. Exemplo: Piaçava

A maioria das cidades brasileiras extinguiram milhares de espécies de árvores nativas e de animais por excesso de degradação das árvores nativas. Extinção é para sempre.
 


segunda-feira, 25 de março de 2013

Breve histórico da Ong MEPA

Para quem quer conhecer a ONG MEPA e o nosso trabalho aconselho assistir ao vídeo a seguir, nele, apresentamos algumas das nossas mais importantes ações. Movimento Educacional de Preservação da Amazônia, fazendo sua parte por um planeta melhor.


 
Free Host